quarta-feira, 5 de julho de 2017

Mano... me faz uma massagem bem gostosa?



Não se deve pedir isso a um irmão...

(escrito por Kaplan)

Alberto havia feito um curso especializado e dedicava-se à massagem. Fazia de quase todos os tipos, mas ainda não tinha uma boa freguesia, pois havia apenas 3 meses que começara. Seu "consultório" já estava todo montado, e situava-se num edifício comercial perto de onde ele morava com seus pais e sua irmã Brigite. Os nomes dos dois refletiam as paixões de adolescentes dos pais. Ele era vidrado na Brigite Bardot e ela no príncipe Albert, mas aportuguesou o nome para ninguém ficar rindo dela.

Numa tarde qualquer, ele estava sem clientes, lia alguns livros específicos da área de atuação, quando bateram à porta. Foi abrir e era sua irmã, com uma cara de estressada no mais alto grau.

- Mano... me faz uma massagem bem gostosa? Aquela faculdade me mata...
- Claro, para sorte sua eu só tenho cliente daqui a 3 horas, posso fazer uma relaxante bem demorada. Tira a roupa e deita ali, vou preparar tudo. 

Tenho que segurar meu tesão... ela é minha irmã!
Apagou a luz, ligou um abajur fraquinho, colocou um Cd com músicas próprias para relaxar, acendeu um incenso e foi até a maca, onde sua irmã já estava deitada de bruços, só de calcinha.

E pela primeira vez ele viu não a irmã, mas uma linda mulher quase nua. Sua vista ficou até embaralhada, mas ele se recompôs e foi fazer a massagem nela. 

Foram 50 minutos passando as mãos nas costas, nas pernas. Mas suas mãos tremeram ao massagear as  nádegas dela. E ele viu que ela ficou arrepiada também.

E quando ele pediu para ela se virar, o espetáculo dos seios dela o deixou perturbado também. Ainda bem que ela ficava de olhos fechados, curtindo a música e o incenso. Se os abrisse, não teria como não ver como a calça dele ficou estufada.

Mas ela não estava dormindo, estava bem atenta aos movimentos dele e viu, de novo, a tremedeira das mãos dele ao massagear os seios dela. Então,quando ele terminou e perguntou a ela se tinha melhorado, se gostara, ela falou que tinha sido ótima, mas queria mais um pouco de massagem no bumbum. 

Tira a calcinha pra massagear direitinho...
- Fiquei 4 horas sentada fazendo prova, eles estão meio doloridos, pode fazer mais um pouco lá?

Ele disse que sim, ela tornou a se virar e quando ele ia começar, ela pediu para ele tirar a calcinha dela. Alegou que era para não ficar suja de óleo, mas estava, na verdade, com outros planos.

Tremendo, ele tirou a calcinha e ficou admirando a bunda da irmã... que coisa mais linda! Lembrou na hora que quando eram crianças e junto com os primos brincavam de médico, todos os primos queriam consultar a Brigite e adoravam pegar na bundinha dela. Riu e comentou isso com a irmã que também sorriu e falou:

- Mas não eram só os primos, você também pegava bastante...
- É verdade, você tinha a bunda mais bonita de todas as primas.
- Acha que ela continua bonita?
- Tá brincando? Ela é linda.
- E o que está esperando para brincar de médico comigo?
- Mana... você tem certeza disso?
- Tenho, e você também tem... acha que não notei a sua tremedeira ao pegar nela e nos meus seios?
- Não fui nem um pouco profissional, né?
- Não, mas eu adorei! E quero mais, mano, olha como está seu pau, quase furando a calça. Tira a roupa, vamos brincar como antigamente. 

Seu pau cresceu bastante... ainda bem!!!
Ele não tinha como negar e acabou que resolveu fazer o que ela pedia. Tirou a roupa, pau duríssimo que ela olhou e sorriu, comentando que tinha crescido bastante!
E pegou nele e fez um boquete bem gostoso.

E ele foi massagear a bundinha dela, ela abriu as pernas e ele massageou a xotinha e ela gemeu. E ele subiu na maca,  ajoelhou atrás dela e foi enfiando o pau, bem devagarinho. Ele nem sabia se a irmã era virgem ou não, mas percebeu que não, porque o pau deslizou dentro dela com facilidade.

E ele meteu bastante, depois ficou deitado e ela o cavalgou e depois ele a deixou sentada bem na beirada da maca e ficou em pé na frente dela e tornou a meter e viu ela revirando os olhos, seu corpo ficando rígido. Era o gozo gostoso...

Ele tirou o pau da xotinha e gozou na barriga dela, que riu muito vendo o esperma sair voando do pau dele em sua direção.
Ela o abraçou e beijou. Levantou-se, limpou a barriguinha e se vestiu.

- Mano, não me importa se isso que fizemos é certo ou errado. O que sei é que você vai sentar ali na sua mesa e reservar um horário pra mim toda semana!

Pois muito bem. Depois daquela massagem muito relaxante, Brigite e Alberto ficaram bem mais amorosos e até aproveitavam, em casa, algum momento de distração dos pais para darem beijos e amassos. E na tarde que ele passou a reservar para ela, as transas se tornavam cada vez mais gostosas.
E teve uma noite em que ela estava no quarto, estudando, ele tomava um lanche quando viu os pais se aprontarem.

- Vão sair?
- Vamos ao cinema e depois viremos pra casa, afinal amanhã todo mundo trabalha...
- OK, a mana está estudando e eu vou ver um pouco de TV e depois vou me deitar. Bom cinema e boa noite!

Ele já começava a suar frio. E tão logo os pais saíram, ele correu ao quarto da irmã e falou:

- Mana... papai e mamãe foram ao cinema... vamos aproveitar!
- Jura? Mas que bonzinhos eles foram!

Ele, já sem camisa, ajudou-a a tirar a blusa, deixando-a só de calcinha. Beijando-a sem parar, ele começou a tirar a calça, mas ela nem esperou ele tirar tudo, mal o pau apareceu, ela já o agarrou e começou a chupar e depois de um belo boquete ela deu um beijo nele, falando que era para ele ver como seu pau era gostoso. 

Que xotinha mais perfumada e gostosa...
Ele deu o troco. Lambeu a xotinha da irmã, chupou bastante e depois foi beijá-la falando a mesma coisa:

- Agora sinta o gosto de sua bucetinha...

Riram muito. Eles sempre riam quando transavam...
E aí... cachorrinho, de ladinho, de frente... e aquele gozo dela ao qual se seguia o gozo dele, sempre na barriguinha dela.

Ficaram fazendo carinhos um no outro, mas atentos ao relógio. Quando se completaram as duas horas que o filme durava, ele foi para o quarto dele. 

E ela dormiu profundamente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário