quarta-feira, 24 de agosto de 2016

As duas assustaram quando ele apareceu, mas acabaram gostando muito!



Um simples passeio das duas se transformou num ménage fantástico!

(escrito por Kaplan)

Rita e Margarida eram duas amigas e colegas da faculdade onde estudei. Amantes da natureza, em toda oportunidade que aparecia as duas pegavam suas mochilas e saíam pelo meio do mato que circundava a cidade onde estava sediada a nossa faculdade. Não iam para namorar ou fazer sexo, iam para curtir a natureza, nadar nas cachoeiras. 


Adoro andar na natureza... você também, né?
E gostavam de fazer isso sem mais ninguém por perto. Várias vezes pedimos a elas que nos chamassem para irmos juntos, mas elas argumentavam que ia virar orgia e não era isso que elas queriam nesses passeios. Que as orgias ficassem restritas às nossas repúblicas estudantis, tudo bem, elas participavam e gostavam muito, mas aqueles passeios não eram voltados a esse tipo de ação. 

Bem, deixamos de lado. Menos um colega nosso, o Eustáquio, que era vidrado na Rita, vivia transando com ela e nunca se fartava. Sempre queria mais! 

E um dia ele resolveu ir atrás das duas. Avistou-as ao longe, caminhando, conversando, rindo. Viu quando pararam e estenderam uma colcha no chão, onde colocaram as mochilas. E ficaram ali, olhando as flores, fazendo exercícios físicos, respirando o ar puríssimo do local. 

Ele, então, conseguiu chegar perto delas, sem ser notado e, de repente, pulou na frente delas e agarrou a Rita, que deu um grito, porque não havia percebido quem era e o que desejava. Quando viu que era o Eustáquio, deu um tapa na bunda dele e o xingou bastante, mas aquele xingamento carinhoso, pois ela gostava muito dele também.

- O que você veio fazer aqui, seu porqueira? Sabe que eu e a Dida gostamos de passear sozinhas...
- Eu não estava aguentando de vontade de transar com você, Ritinha...

E, ao falar assim, já foi tirando a camiseta dela, que estava sem sutiã, os seios logo ficaram à vista dele, que foi agarrando-os e beijando-os, enquanto, ajoelhado, ele tirava a bermuda dela. Nua, ela ria sem parar, porque a Margarida estava vendo a cena e achando divertida, ria bastante.

E aí o Eustáquio colocou a Rita deitada na colcha e começou a chupar a xotinha dela, dando o maior tesão na Margarida. 

- Ah, não, Eustáquio, você não vai fazer isso só com a Rita não, também vou querer... Acha que é fácil ficar vendo? Nem pensar!

Foi falando e tirando a roupa, e deitou-se, nua, ao lado da amiga. Eustáquio não tinha outra coisa a fazer senão chupar as duas, revezando para nenhuma reclamar da falta de atenção dele... 

Nunca fizemos isso... estou adorando!
Depois de muito chupá-las, Rita sentou no pau dele e Margarida agachou-se com a xotinha na boca do Eustáquio. Ele a chupava enquanto era cavalgado pela Rita. As duas estavam de frente uma para a outra e acabaram se abraçando, os seios encostados uns nos outros. Aquilo as deixou mais frenéticas ainda e Rita logo gozou.

Então o Eustáquio colocou-se de pé, encostou a Margarida numa grande pedra que tinha ali e a comeu em pé, metendo na xotinha dela por trás. Ela gozou também e logo ele despejou sua porra nos seios das duas.

- Pronto, Eustaquio, por hoje chega, some daqui. Mas... amanhã a gente vai estar aqui de novo, se quiser vir, será bem recebido!

Ele beijou as duas, vestiu-se e foi embora.

- É, Rita, ele esculhambou nosso programa. Mas que foi uma esculhambada muito boa, lá isso foi, não?
- Nossa...ótima! E... Dida... posso te confessar uma coisa?
- O quê?
- Sabe aquela hora que ficamos abraçadas e nossos seios encostaram um no outro? Me deu um tesão redobrado...
- E você acha que em mim não deu?
- Que coisa, né?
- Tá a fim de fazer de novo?
- Acho melhor não... talvez amanhã, quem sabe...

Vestiram-se e continuaram seu passeio, voltando à tarde.
 Na manhã seguinte, lá estavam elas de novo caminhando. 

Gostou da surpresa?
E não demorou muito para avistarem o Eustáquio chegando, então fizeram uma surpresa para ele. Correram, até que ele as perdesse de vista e quando ele, finalmente, as encontrou... as duas estavam nuas o esperando. Tinham combinado isso para animar o dia!

- Gostou da surpresa?
- Magnífica!
- Então tira a roupa também, cara! Tá esperando o quê?

Ele riu e tirou, ficaram os três nus, se agarrando e logo o pau dele cresceu. Margarida, que só transara com ele no dia anterior, pediu licença à Rita, queria examinar melhor o pau dele. A amiga não criou caso, e Margarida então fez um belo boquete, que deixou o Eustáquio realmente maravilhado.

E depois, toalha novamente estendida no chão, eles se deitaram e Eustáquio comeu as duas. Com uma novidade, que foi resultado daquela experiência do dia anterior. 

PQP... nunca pensei que veria isso ao vivo!
Quando ele comia Rita de cachorrinho, Margarida estava deitada perto e Rita a puxou, de forma que a xotinha dela pôde ser chupada pela amiga. Surpresa para todo mundo. Rita não entendia como tivera coragem de fazer aquilo, Margarida quase enlouqueceu com as chupadas que a amiga lhe deu e Eustáquio gozou, alucinado, vendo aquilo. Era algo que nunca presenciara, a não ser nas famosas revistinhas dinamarquesas que circulavam na época.

E depois que ele gozou, se vestiu e foi embora. Sabia que as duas iriam ter de conversar sobre aquilo, pois notou a cara de espanto que Margarida fizera quando Rita começara a chupá-la.